Beda #5: Resenha The Phantom Of The Opera (Oxford Edition)

By Débora Vicente - 23:58

   "Nos subterrâneos do Ópera House em Paris, um fantasma assusta a todos. Mas será mesmo um fantasma?"



  • Ficha Técnica: 

   Título: O Fantasma da Ópera // Le Fantôme de l'Opéra  
   Autor: Gaston Leroux // Adaptação: Jennifer Basset 
   Ano desta edição: 1999 // Edição Original: 1909~1910
   Editora: Oxford University Press // Pierre Lafitte and Cie.
   Páginas desta edição: 64 // Edição original: 180
   Gênero: Fantasia/Terror
   Idioma: Inglês // Francês
   Nível: 1 (iniciantes -  de acordo com o site da própria Oxford - aqui)
   

  • Sinopse:

       It is 1880, in the Opera House in Paris. Everybody is talking about the Phantom of the Opera, the ghost that lives somewhere under the Opera House. The Phantom is a man in black clothes.    He is a body without a head, he is a head without a body. He has yellow face, he has no nose, he has black holes for eyes. Everybody is afraid of the phantom - the singers, the dancers, the directors, the stage workers...

       But who has actually seen him?
  • Tradução: 

   1880, no Ópera House em Paris. Todos estão falando sobre o Fantasma da Ópera, o fantasma que vive em algum lugar do Ópera. O Fantasma é um homem de roupas pretas. 
   Ele é um corpo sem cabeça, ele é uma cabeça sem um corpo. Ele tem rosto amarelo, ele não tem nariz, ele tem buracos negros para os olhos. Todo mundo tem medo do fantasma - os cantores, os dançarinos, os diretores, os trabalhadores do palco ...

   Mas quem realmente o viu?
(By: Google Tradutor)

📃  


  
    O Opera House é uma casa de Ópera imensa, são 17 andares, contendo corredores e salas e alçapões que os próprios funcionários desconhecem. Nestes lugares desconhecidos, habita Erick (ou O Fantasma da Ópera, se preferir), que acompanha na escuridão tudo o que acontece na companhia. Ninguém realmente o viu, mas acreditam em sua existência. Até que a lenda de um fantasma dá lugar a um homem, de carne e osso, com vestimentas negras e uma máscara do lado direito de seu rosto, que vaga pelas sombras escuras do teatro.
   Século 19, a companhia está passando por uma troca de patrocinadores, para se despedir dos antigos e saudar os novos, é preparada uma peça onde Lá Carlotta seria a cantora principal, mas ela simplesmente decide abandonar a peça por um chilique (mimimi), então, de ultima hora, a jovem Christine Daaé, uma cantora lirica soprano, que fazia parte somente do coral, entra no papel principal e simplesmete dá um show. Conquistando a atenção de Raoul, o Visconde de Chagny (um nobre marinheiro, que faz parte da nova patrocinação), que a conhece desde que eram crianças, mas ele só a reconhece a partir desta peça. Daí (re)nasce um amor entre eles mas não significa que será fácil... Pois, Erick, que é a voz que ecoa pela casa, tem Christine como sua obssessão... Ele é o tutor de canto de Christine, desde que o pai da mesma era vivo (muito ciumento também, diga-se de passagem) e o responsável pelas mortes de quem não cumpre com as suas exigências... Porém, alguém vai sobrar neste enredo amoroso....

   Eu não conhecia a obra até chegar nessa fase do colégio em que temos que ler o livro obrigatório e daí eu me apaixonei (igual foi com Wuthering Heighs e Dr. Jekyll & Mr. Hyde)... A Oxford Bookworms lançou em inglês adaptações dos mais diversos clássicos da literatura, para todos os níveis de leitura. No caso desta obra, é o primeiro nível e super indico para quem está se conhecendo esse mundo literário em inglês.
   A obra original, feita pelo Gaston Leroux, foi lançada por volta de 1909/1910 e teve inúmeras adaptações... Inclusive, a adaptação teatral/musical veio pro Brasil em abril de 2005 e ficou até abril de 2007.
Teve também adaptações cinematográficas, a mais fiel a obra literária, é a de 2004 com Gerard Butler (Rei Leônidas, 300) como Erick, também tem a adaptação musical , feita pela banda Finlandesa Nightwish, com uma versão metal da música tema, tendo a Tarja Turunen como a Christine no dueto (minha preferida).

   Depois que li, quis assistir e conhecer mais e até bateu uma badzinha por não conhecer a obra na época em vieram pro Brasil. Essa minha professora foi a peça e ela disse que foi muito fiel ao livro (bateu uma invejinha branca na hora, haha) e é uma história que no fim, traz uma lição para pensarmos (não vou dizer, essa é a parte legal de ir até o fim do livro) e eu recomendo de verdade, não só porque eu virei fã (haha, suspeita demais), mas porque é um clássico francês (foge um pouco da literatura americana/britânica), é uma narrativa bem diferente! ♡

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários